in , , ,

Moradores do bairro Cidade Operária em São Luís desrespeitam distanciamento social

Nas ruas da Cidade Operária, a movimentação é de um dia normal, nem de longe parece que a população vive numa pandemia por causa do novo coronavírus. Alguns arriscam a própria saúde e ignoram o uso da máscara, outros, apenas tentam justificar o motivo de ter saído de casa.

“Foi só porque ela me chamou e eu vim, mas eu não saio de casa não, por causa dela mesmo”, afirmou uma jovem, que estava sentada em uma calçada com a filha no colo, conversando com uma amiga.

O bairro é um dos mais populosos da capital maranhense. Nessa praça, a cena do absurdo, várias crianças aglomeradas no mesmo brinquedo. E não para por aí, no parquinho, quase não sobra espaço. Quase não sobra espaço também no calçadão, de tanta gente fazendo caminhada.

O Viva da Cidade Operária sempre foi utilizado por moradores da região, para prática de atividades físicas. Nem mesmo a pandemia fez a população mudar o hábito. Por aqui, ainda é fácil flagrar muita gente desobedecendo o distanciamento social.

Moradores do bairro da Cidade Operária em São Luís desrespeitam o distanciamento social. — Foto: Reprodução/TV Mirante.

Moradores do bairro da Cidade Operária em São Luís desrespeitam o distanciamento social. — Foto: Reprodução/TV Mirante.

Na quadra de esportes, mais aglomeração. Na pista de skate, quase ninguém de máscara e no meio da praça, tem até casal namorando.

Mozaniel trouxe o filho para passear, depois de passar tantos dias em confinamento.

“A gente fica muito preso em casa. Meu filho está com uns quatro dia pedindo para trazer ele pro Viva. Eu moro bem aqui e trouxe ele hoje para dar uma pedalada comigo e se distrair um pouquinho, porque se a gente ficar na rotina, a depressão bate, o desânimo bate. A gente tem que se distrir um pouco”, afirmou Mozaniel Cardoso, que é motorista.

Mylena também aproveitou o fim de tarde na praça do Viva Cidade Operária, mas ela garante que toma todos os cuidados necessários. Ela sentiu de perto como a Covid-19 é grave, pois o pai dela morreu, há um mês, pela doença.

“Aode a gente passa tem muita gente sem máscara ainda, muita gente ainda não se acostumou usar máscara. Muito complicado”, declarou Milena Neves, que é autônoma.

Coronavírus no Maranhão

Maranhão tem casos 27.979 confirmados do novo coronavírus em 210 dos 217 municípios do estado. O boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgado nesta quarta-feira (27) mostra ainda que são 887 mortes e 7.117 curados da Covid-19.

O relatório da SES diz que 19.975 estão em tratamento. Nas últimas 24h, 1.834 casos novos foram registrados no estado, sendo que 123 foram na Grande São Luís, 114 foram em Imperatriz e 1.597 foram em outros municípios.

Nas últimas 24h, foram confirmados 34 óbitos pela doença nos municípios de São Luís (8), Paço do Lumiar (2), Lago da Pedra (3), Zé Doca, Timon, João Lisboa, Montes Altos, Itinga, Grajaú (2), Peritoró, Pedreiras, Imperatriz, Lima Campos, Turilândia, Estreito, Pinheiro, Boa Vista do Gurupi, Davinópolis, Esperantinópolis, Buritirana, Bom Jardim, Bequimão e Bacabal.

Ficar em casa

Ficar em casa é importante porque, segundo as autoridades de saúde, é a única maneira mais eficaz no momento para frear o aumento repentino no número de casos, o que poderia causar um colapso no sistema de saúde pela falta de leitos e de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

Um colapso causaria a diminuição drástica da capacidade do sistema de saúde em cuidar dos pacientes, o que aumenta a chance de óbitos por Covid-19 e também por outras doenças.

Cuidados

Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar as mãos com água e sabão, utilizar lenço descartável para higiene nasal, cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.

G1 MA

Redação Jornal Maranhão Agora

Written by Redação Jornal Maranhão Agora

Whatsapp +55 98 9911-4223

Deixe uma resposta

Moradores do Coroadinho bloqueiam Avenida dos Africanos após serem tratados como invasores

Maranhão tem mais de mil profissionais de saúde infectados pelo novo coronavírus