in , , , ,

Após três meses, suspeito do desaparecimento de mulher no aeroporto de Goiânia é preso no MA

A Polícia Civil prendeu na manhã desta quarta-feira (28) um homem suspeito do desaparecimento de Lílian de Oliveira, de 40 anos, ocorrido há mais de três meses.

De acordo com a polícia, ela foi vista pela última vez no dia 13 de fevereiro no aeroporto de Goiânia, logo após chegar de uma temporada na Colômbia. Uma câmera de segurança mostra Lílian entrando em uma pick-up de cor prata. Desde então, ela nunca foi encontrada e há suspeita de assassinato.

Lilian de Oliveira entrou em uma pick-up no Aeroporto de Goiânia e desapareceu, Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Lilian de Oliveira entrou em uma pick-up no Aeroporto de Goiânia e desapareceu, Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

A prisão do suspeito ocorreu em Buriticupu, a cerca de 400 km de São Luís, onde ele estaria escondido após passar por várias cidades do país. O nome do preso não foi divulgado pela polícia.

O delegado de Buriticupu informou que as primeiras informações apontam que o suspeito não era namorado da vítima, mas que o preso preferiu não falar durante interrogatório. Ele foi encaminhado ao sistema prisional e o caso será repassado para a Polícia Civil de Goiânia, que faz a investigação do desaparecimento.

Desaparecimento de Lílian

A família de Lílian é da cidade de Caldas Novas, em Goiás, e afirma que a última vez que ela visualizou mensagens no celular foi no dia 13 de fevereiro, às 12h05.

“Nós tínhamos contato com ela todos os dias. Quando não era eu, era minha irmã. E depois desse dia, a gente não teve mais nenhum contato”, relata Liliane de Oliveira.

Em março, a irmã de Lílian contou ainda que escuta várias versões diferentes sobre o desaparecimento, mas nenhuma se conecta à outra.

“Eu quero a minha irmã de qualquer forma. Não importa o jeito que ela está”, pede a irmã.

G1 MA

Redação Jornal Maranhão Agora

Written by Redação Jornal Maranhão Agora

Whatsapp +55 98 9911-4223

Deixe uma resposta

Homem é preso após atirar contra Policial Militar em São Luís

Moradores do Coroadinho bloqueiam Avenida dos Africanos após serem tratados como invasores