SÃO LUÍS – Um caso de racismo registrado na semana passada em um restaurante, no Centro Histórico de São Luís, repercutiu em redes sociais. A produtora cultural Carla Coreira registrou um boletim de ocorrência contra o Restaurante Flor de Vinagreira.

Carla relatou à polícia que um segurança do restaurante se incomodou com a presença dela no local. Ela havia parado para falar com uns amigos que estavam no estabelecimento, quando foi surpreendida com um ato discriminatório.

“De repente, ele [segurança] olhou para mim, falou com meu amigo e perguntou: ‘Dr, ela está atrapalhando em alguma coisa? Eu não tive como responder nada porque fiquei travada”, contou em entrevista à TV Mirante.

Os amigos dela ficaram inconformados com a situação. Um deles, o Secretário de Estado do Trabalho e Economia Solidária, Jowberth Alves, confirmou que houve racismo. Outra amiga, a professora Dulce Ferreira, também testemunhou a discriminação.

Após a repercussão do caso, o dono do restaurante Flor de Vinagreira, Francisco Neto, postou um vídeo no perfil do estabelecimento no Instagram afirmando que as atividades do estabelecimento são pautadas em padrões morais e éticos e nega a ocorrência de práticas de racismo no local. Veja:

A Comissão da Verdade da Escravidão Negra no Brasil da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) vai investigar o caso e enviar um relatório ao Ministério Público e à Defensoria Pública do Estado.

Imirante.com