O corpo de Edcarlos Costa de Sousa no local do crime (Foto: Divulgação)

De uma leve ansiedade à raiva intensa, que pode colocar o relacionamento e, inclusive, o parceiro em risco. Os ciúmes se manifestam de formas variadas e, nessa terça-feira (10), teve um desfecho trágico. O vigilante Jailson Costa da Silva, de 29 anos, matou o sócio de sua namorada, Edcarlos Costa de Sousa – conhecido como “Mundico” – por volta das 8h20 de ontem, na Rua Carlos Macieira, no bairro do Coroado. A razão teria sido suspeita de traição e uma dívida de R$ 5 mil que Edcarlos tinha com a namorada do autor do crime.

Jailson morava com a sua namorada na área do Barés, região do bairro do João Paulo. Ontem, após atirar contra Edcarlos Costa de Sousa, a pé, o vigilante foi ao Barés supostamente para matar sua namorada, mas encontrou o portão da residência trancado. Em seguida, também a pé, foi até a Praça São Marçal, no João Paulo, e no pátio de um boxe atirou no seu próprio ouvido esquerdo, morrendo no local.

Na Praça São Marçal, esteve apurando o caso o delegado do 2º Distrito Policial, Marcos Amorim. Na Rua Carlos Macieira, as informações foram levantadas pelo delegado da Superintendência de Homicídios de Proteção a Pessoa (SHPP), Felipe César.

O delegado Marcos Amorim disse que um familiar da namorada de Jailson contou a ele que a mulher, no passado, teve um relacionamento amoroso com Edcarlos. O delegado Felipe César informou que os dois, atualmente, eram apenas sócios de um depósito de material de construção civil.

Jailson Costa da Silva teria se suicidado logo após praticar o crime (Foto: Divulgação)

“Jailson namorava a sócia da vítima há aproximadamente cinco meses. Segundo a namorada do vigilante, ele tinha muito ciúme dela com Edcarlos. Outra informação é de que a mulher teria emprestado R$ 5 mil para seu sócio, Jailson sabia deste empréstimo e era o vigilante quem cobrava o pagamento da dívida”, informou o delegado Felipe César.

Edcarlos Costa de Sousa foi morto dentro de uma casa vizinha ao seu depósito. Ele recebeu quatro tiros no rosto.

Quando as polícias Militar e Civil chegaram ao local do assassinato, o corpo de Edcarlos já tinha sido arrastado por populares para a calçada da residência. Segundo vizinhos, o sócio-proprietário do depósito de material de construção civil, a vítima era evangélica e tinha três filhos.

De acordo com o delegado Marcos Amorim, Jailson Costa da Silva utilizou uma pistola ponto 40 para matar Edcarlos e depois se suicidar. “A primeira consulta que fizemos do registro da arma, mostra uma pistola roubada. Agora, precisa ser investigado quem a roubou e como ela foi parar na posse de Jailson”, informou Amorim.

O delegado Felipe César informou que ontem mesmo, por volta das 15h, a namorada de Jailson seria ouvida na sede da SHPP, localizada na Avenida Beira-Mar.

Jornal Pequeno