O gás de cozinha, que já está com um preço indigesto, deve ficar ainda mais caro. Além dos ajustes promovidos pela Petrobras, o aumento de salário dos trabalhadores das revendas e distribuidoras, cuja a data-base é em setembro,também vai pesar no bolso do consumidor. O valor de um botijão de 13 quilos de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) pode ultrapassar os R$ 100, nas próximas semanas. Em São Luís, o preço deve se aproximar de R$ 80,00.

Segundo o presidente da Associação Brasileira dos Revendedores de GLP (Asmirg-BR),
Alexandre José Borjaili, no início deste mês houveram dois aumentos.“A Petrobras
anunciou reajuste de 4,5% no GLP industrial e as distribuidoras anteciparam a elevação de
custo que terão com o acordo coletivo da categoria e que vai vigorar em outubro”,
explicou.

Borjaili disse que o impacto no gás de cozinha foi de R$ 2 a R$ 4 para os revendedores.“A
situação está inviável e o mercado informal está crescendo. O residencial vaiter mais um
reajuste em 5 de outubro”, destacou

Info. O Imparcial